22º Aniversário do Centro de Estudos EuroDefense-Portugal

O Centro de Estudos EuroDefense-Portugal tem sabido constituir-se como plataforma de interação entre os sectores público e privado, para além de ponto de encontro de diferentes organizações e espaço de reflexão de personalidades civis e militares e jovens universitários, com interesse sobre os temas da segurança e defesa.

Em 12 de fevereiro de 1998 foi formalmente assinado o protocolo fundador do Centro de Estudos EuroDefense-Portugal pelos seus instituidores, o Instituto da Defesa Nacional (IDN) representado pelo seu Diretor naquela data, o Prof. Doutor Nuno Severiano Teixeira e a Associação Industrial Portuguesa (AIP-CCI) representada pelo Presidente Jorge Rocha de Matos. O Ministro da Defesa Nacional, Professor Doutor José Veiga Simão e o Ministro da Economia, Dr. Joaquim Pina Moura, homologaram o Protocolo, reconhecendo assim o interesse público desta organização não governamental. Posteriormente, tomaram posse os primeiros Corpos Sociais, sendo designado Presidente da Direção o Dr. António Vitorino, anterior Ministro da Defesa Nacional, Vice-Presidente o Tenente-General Eduardo Mateus da Silva e como Secretário-Geral o Major-General Mário Lemos Pires. O Conselho Geral era já então presidido pelo Doutor João Salgueiro.

Ao longo da sua história, o Centro de Estudos EuroDefense-Portugal enfrentou diversos desafios que impulsionaram uma significativa alteração em 2015, com a aquisição do estatuto de pessoa coletiva de direito privado sem fins lucrativos, formalmente designada Associação de Estudos de Segurança e Defesa Europeia_EuroDefense-Portugal.  A partir dessa altura assistiu-se a um significativo alargamento dos seus membros, atingindo presentemente o número de 79 associados.

Têm sido particularmente relevantes as iniciativas do Centro de Estudos EuroDefense-Portugal no quadro da evolução da política de segurança e defesa europeia e suas consequências para Portugal, assim como no acompanhamento das atividades relacionadas com a Economia da Defesa, designadamente, na recolha e difusão de informação sobre as atividades da Comissão Europeia e da Agência Europeia de Defesa ligadas às indústrias e tecnologias de segurança e defesa, cujos programas representam importantes desafios e oportunidades, especialmente, para as pequenas e médias empresas nacionais.

Outra área de reconhecido interesse corresponde ao lançamento de oportunidades de estudo, reflexão e debate destinados aos mais jovens, especialmente através da organização de conferências e seminários sobre questões da segurança e defesa, em parceria com diversas Universidades. No âmbito deste projeto, está presentemente em curso um Protocolo de Cooperação com o Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica, para o acolhimento de estagiários dos Cursos de Relações Internacionais – Segurança e Defesa. Seis estudantes do IEP efetuam presentemente um estágio de três meses no Centro de Estudos EuroDefense-Portugal.

Para reforçar a dimensão jovem, foi ainda constituído o grupo EuroDefense Jovem-Portugal. Coordenado por jovens e dotado de larga autonomia, o seu principal objetivo é criar um espaço de encontro, convívio e aprendizagem, tendo em vista sensibilizar a população jovem para os assuntos da segurança e defesa europeia e incentivar a sua participação em atividades e projetos EuroDefense.

No âmbito da rede europeia de associações EURODEFENSE que integra representações de 15 Estados Membros, o Centro de Estudos EuroDefense-Portugal tem participado em diversos Grupos de Trabalho dedicados à análise e debate de temas de segurança e defesa, com especial relevância e atualidade para a União Europeia.

Pode assim concluir-se, pelo balanço muito positivo do seu passado, pelas ligações privilegiadas com os seus homólogos europeus e ainda pelo elevado prestígio e credibilidade que as iniciativas da rede EURODEFENSE vêm granjeando junto de Instituições Nacionais e Europeias, que, ao comemorar o seu 22º aniversário, o Centro de Estudos EuroDefense-Portugal tem motivos para se orgulhar de ter sabido constituir-se como fórum privilegiado, espaço de reflexão e plataforma promotora de áreas de inegável interesse – da promoção da economia da defesa ao fortalecimento de um pensamento estruturado nestes importantes domínios – contribuindo assim para o alargamento da cultura de segurança e defesa no nosso país.

António Jorge de Figueiredo Lopes
Presidente da Direção

Partilhar conteúdo:
LinkedIn
Share

Formulário Contato

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin