EnglishFrenchPortugueseSpanish

Aliança Atlântica pretende aprofundar relação com ONU

O secretário-geral da Aliança Atlântica felicitou António Guterres pela sua eleição como secretário-geral das Nações Unidas e disse esperar que, sob a sua liderança, seja possível aprofundar ainda mais a relação entre as duas organizações.

Saúdo calorosamente a eleição de António Guterres como secretário-geral das Nações Unidas. Estou convencido de que sob a sua liderança a ONU irá continuar a desempenhar o seu papel vital face aos desafios do século XXI”, escreve Jens Stoltenberg, numa nota divulgada em Bruxelas, sede do quartel-general da NATO.

Apontando que a cooperação entre as duas organizações, baseada num “compromisso comum pela paz e segurança internacionais”, não parou de crescer nos últimos anos, o secretário-geral da Aliança Atlântica sublinha que o diálogo entre NATO e ONU abrange atualmente “uma grande variedade de questões”, desde a condição das mulheres, à paz e segurança e a proteção de civis, passando pelo “apoio dado pela Aliança ao reforço da ação da ONU na manutenção da paz”.

Estou desejoso de trabalhar com o secretário-geral Guterres, para avançar e aprofundar ainda mais a relação entre a NATO e as Nações Unidas”, conclui Stoltenberg na sua mensagem.

A Associação EuroDefense-Portugal também já saudou oportunamente a eleição de António Guterres, tendo publicado o seguinte texto neste website:

A Associação EuroDefense-Portugal regozija-se com a nomeação de António Guterres para o cargo de Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas, instituição que desempenha um papel central no quadro da segurança global.

António Guterres assume o cargo num momento em que o mundo enfrenta, de novo, desafios para os quais nenhum país encontrará solução, isoladamente, perante a globalização da ameaça. O papel das Nações Unidas, bem como do seu Secretário-Geral, são nestas circunstâncias ainda de maior relevância.

A capacidade de diálogo e cooperação, e o perfil humanitário de António Guterres constituem uma garantia de que a ONU continuará activamente na prossecução dos seus principais objectivos: contribuir para a paz, o desenvolvimento e a defesa dos direitos humanos.

Eduardo Mascarenha
Vogal da Direção

Partilhar conteúdo:
LinkedIn
Share

Formulário Contato

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin