EnglishFrenchPortugueseSpanish

Economia da Defesa

Desde a sua fundação, há 25 anos, o Centro de Estudos EuroDefense-Portugal sempre conferiu a maior prioridade ao estudo, à reflexão e ao debate sobre a Economia da Defesa, tema de referência desta Newsletter.

Diria mesmo que, até à criação, em 2014, da idD-Plataforma das Indústrias de Defesa Nacionais, hoje, idD Portugal Defence, EuroDefense-Portugal era das poucas entidades públicas ou privadas que promovia encontros, mesas redondas, conferências e jornadas dedicadas a desenvolver o tema da dimensão estratégica do investimento na área da defesa, com especial atenção para a divulgação dos desafios e oportunidades que os fundos europeus oferecem ao sector tecnológico e industrial da defesa, ainda que inicialmente limitados a projetos de duplo uso (vide: Sínteses EuroDefense nºs 9, 10 e 11 / 2006 e 2007 e Cadernos EuroDefense nºs 2 -2000 e 14 – 2014).

O tema da economia de defesa aparece estreitamente ligado à reflexão que se tem vindo a fazer na Europa, com maior acuidade nos últimos 10 anos, sobre a ponderação das despesas militares, num cenário de escassos recursos e de necessidades prioritárias noutros sectores, designadamente, saúde, educação e setor social. Daí a importância de trazer a economia para a área da defesa, isto é, introduzir a análise económica no planeamento estratégico militar, a partir de uma visão global das necessidades das forças armadas para cumprirem as suas missões face aos recursos disponíveis.

Portanto, quando se fala de economia da defesa, do que se trata é compatibilizar a estratégia de defesa militar com a estratégia de desenvolvimento económico, ou seja, reconhecer que os investimentos na defesa nacional e nas forças armadas constituem um potencial económico para beneficiar outros sectores – as indústrias, as PMEs, o sector científico e tecnológico – sem prejuízo da sua finalidade principal que é a de dotar as Forças Armadas das capacidades necessárias para cumprirem as suas missões.

Nesta perspetiva e especialmente em tempos de austeridade e de crise, a despesa com a defesa deve ser vista não só como o preço a pagar por esse bem público essencial que é a segurança e a defesa nacional, mas também pelos benefícios macroeconómicos substanciais decorrentes dos investimentos e das despesas militares, especialmente, em termos de emprego altamente qualificado e de aquisição de novas capacidades de Investigação e Desenvolvimento e sua consequente expressão em inovação de matriz tecnológica.


Lisboa, 30 de novembro de 2022

António Figueiredo Lopes
Presidente da Direção


Economia da Defesa ao Serviço da Paz

Economia da Defesa em Portugal

  • Factsheet: Economia da Defesa 2022
  • Factsheet: Economia da Defesa 2021
  • Livro: Economia da Defesa em Portugal

Indústria da Defesa na EU: Conselho define orientação geral sobre a dinamização da contratação pública conjunta

Presidente da EuroDefense-Portugal na Madeira

A indústria da Defesa em mudança em Portugal: O Modelo da Hélice tripla da Sociedade do Conhecimento está substituindo o Modelo da Liderança do Estado?

A indústria de segurança e Defesa: Um setor estratégico

A guerra da Rússia e o ritmo acelerado das iniciativas de Defesa da UE

Defesa europeia: o pacote completo

A estratégia industrial da EU: Conciliando concorrência e desafios geoeconómicos

Made in Portugal: A indústria durante a guerra colonial (1961-1974)

Defender. Resistir. Repetir: as lições da Ucrânia para a defesa europeia

Realizando a capacidade de implantação rápida da EU: Oportunidades e armadilhas

Guerras por vir, eurpeus por agir: Um estudo sobre o futuro militar da Europa

Economia da Defesa: O futuro da tecnologia militar europeia

A Bússola Estratégica e as capacidades de defesa baseadas no espaço da EU

Autonomia Estratégica europeia e Defesa após a Ucrânia: Como a guerra na Ucrânia remodelará a política de defesa da EU

Soberania digital na prática: O impulso para moldar a nova economia global

Defesa da EU: Integração inclusiva par investimento, inovação e instituições eficazes


Newsletter EuroDefense-Portugal – N.º 21 | Nov 2022

Partilhar conteúdo:
LinkedIn
Share

Formulário Contato